La Vache Bleue: um canto de arte esquisito


vintique_image

Difícil definir o La Vache Bleue. O surrealismo já começa pelo nome: A Vaca Azul. Eles se definem simplesmente como “um coletivo de artistas”. Mas se eu tiver que colocar em uma frase, lá vai: uma favela artística construída embaixo de um trilho de trem abandonado. Do trilho do trem nós já falamos antes, é a Petite Ceinture, uma ferrovia que circunda Paris e que está desativada há décadas.

vintique_image (3)

Pois no trecho em que a ferrovia atravessa o Canal de L’Ourcq, no 19ème arrondissement de Paris, um grupo de artistas ocupou os depósitos que ficam sob o trilho e construiu barracos ao redor da antiga estação Ourcq Jean Jaures. E ali instalou seus ateliês. São artistas plásticos, atores, diretores de teatro, poetas e músicos que, ao mesmo tempo em que produzem, abrem as portas para o público conhecer as suas criações. Apesar de totalmente obscuro, o espaço está completando 20 anos de atividades.

vintique_image (4)

Ao chegar no La Vache Bleue, o visitante depara com um corredor ao ar livre. Quando entra, tem a impressão de ser teletransportado de Paris para algum lugar remoto no interior da África ou da Índia. Pelo caminho você vai encontrando esculturas coloridas de madeira no chão e também penduradas pelas árvores. O aluguel de um ateliê custa 45 euros por mês, um valor simbólico, mas, durante o verão, muitos artistas preferem trabalhar ao ar livre mesmo, como a atriz da foto abaixo.

vintique_image (2)

Olhando de fora, ninguém imagina, mas este lugar improvisado abriga, além dos ateliês, uma galeria de exposições, um teatro e um bar.  É bom checar a agenda de eventos antes de aparecer por lá, mas, se não tiver nenhuma atração rolando, vale o passeio de qualquer maneira, pois muitas das obras estão pela rua mesmo, como essas raízes de árvore coloridas e bem surrealistas.

vintique_image (5)

O La Vache Bleue é um bom lugar para caminhar em uma tarde ensolarada, não recomendado durante o inverno nem à noite (já que a área é potencialmente perigosa). Mas desde já está levando o Troféu Paris Lado B de canto mais obscuro e esquisito que encontramos na cidade. Por enquanto.

vintique_image (1)

La Vache Bleue

25 Quai de L’Oise. 75019 Paris
Métro Ourcq ou Corentin Cariou.
A entrada fica ao lado da ponte de ferro que atravessa o Canal de L’Ourcq. Confira no Google Maps antes de partir, porque o lugar é bem escondido.

Aproveitando a viagem:

About Gabriel B. 115 Articles
Connard, flâneur, ringard.

5 Comentários

  1. Gente, blog incrível! Que sorte encontrar vocês.
    Vou passar agosto em Paris, e depois de pesquisar bastante resolvi ficar em Belleville… Acontece que a área é completamente excluída dos roteiros tradicionais (o que não sei se é ruim ou bom, já que os convencionais não costumam me atrair muito) e os amigos que já foram a Paris desconhecem completamente, então estive fazendo um levantamento meio às escuras, catando algumas coisas legais no google maps, etc. Mas todos os posts de vocês tem dicas ótimas, vou ter que olhar com mais calma até lá.
    Agora vai ser mais fácil! 🙂

  2. Ja visitei Paris duas vezes e me arrependo de nao ter visto esse blog antes!! Como nao conhecia a cidade, tive que ficar so nos pontos mais turisticos… Gostaria de poder ter lido suas dicas antes…. Adorei muito! x

3 Trackbacks / Pingbacks

  1. Feira livre, hipppie e moderna | Paris Lado B
  2. A estação que virou fazenda urbana | Paris Lado B
  3. Como alugar barcos para navegar em Paris sem precisar de licença | Paris Lado B

Comments are closed.