Top 5 museus gratuitos de Paris #3: Musée Carnavalet

Pare em frente ao Hôtel de Ville, a prefeitura da cidade, e olhe bem em volta. Gente de todos os tipos e de todos os lugares do mundo, um carrossel girando, talvez uma pista de patinação no gelo. Agora pense em quanta coisa já aconteceu neste lugar. O beijo registrado por Doisneau, o incêndio durante a Comuna de Paris, todos os personagens dos nossos livros de história que já passaram por ali. Tente imaginar que esta mesma praça foi, por séculos, palco de execuções de todos os tipos. Quanta gente já morreu ali, esquartejada, queimada viva, decapitada, guilhotinada, num espetáculo incrível para a multidão enlouquecida?

Mesmo que não pareça, isso também é, ou pelo menos foi, Paris. E é por isso que escolhi como terceiro colocado na nossa lista o Musée Carnavalet, que conta a história da cidade através de um rico acervo de arte, mobiliário, maquetes e peças arqueológicas.

A coleção do Carnavalet tem mais de 2600 pinturas que retratam a cidade em outros tempos, cenas quotidianas, personalidades parisienses e eventos históricos ocorridos na capital. É uma ótima oportunidade de ver o Champ de Mars antes da Torre Eiffel, os moinhos de Montmartre, o incêndio do Hôtel de Ville, a queda da Bastilha e as execuções em praça pública.

Para entrar ainda mais na história de Paris, uma maquete reconstitui a Île de la Cité do século XVI, com suas ruelas estreitas e pontes habitadas.

O prédio renascentista, um dos hôtels particuliers mais antigos da cidade, tem ainda várias salas reservadas para a reconstituição de interiores de antigos palacetes parisienses, com trabalhos em madeira, móveis e objetos de decoração dos séculos XVII, XVIII e XIX.

Se a visita cansar, aproveite o jardim do museu para aquela soneca revigorante, como fez o senhor da foto ali abaixo.

Musée Carnavalet
23 Rue de Sévigné, 75003 Paris
Metrô: Saint-Paul (linha 1), Chemin Vert (linha 8)
Fone: 01 44 59 58 58
Aberto de terça a domingo, das 10h às 18h (exceto feriados, domingo de Páscoa e domingo de Pentecostes)
A entrada é gratuita para a coleção permanente, mas exposições temporárias costumam ser pagas.

Aproveitando a viagem:

  • Ali pertinho fica a Rue des Rosiers e seus famosos falafels. Além disso, não falta o que fazer no Marais.
  • Aproveite e dê um pulo na praça do Hôtel de Ville, antigo lugar de execuções na cidade.

Veja também:

About Gabriel B. 115 Articles
Connard, flâneur, ringard.