Brasserie Barbès é símbolo da renovação do 18ème

© Luciano Spinelli
© Luciano Spinelli
© Luciano Spinelli

A Brasserie Barbès é o maior símbolo de um movimento de renovação da região ao redor do metrô Barbès – Rochechouart e do bairro Goutte d’Or. Essa área, ao longo dos anos, ganhou má fama por ser local de venda de produtos roubados (principalmente iPhones) e contrabandeados (principalmente cigarros).

Sim, você ainda vai encontrar gente oferecendo cigarros e telefones roubados se caminhar por ali, mas, nos últimos meses, alguns novos cafés, bares e lojas estão mudando o perfil do bairro. O fenômeno é controverso: alguns apontam isso como uma boa coisa, outros acusam a suposta “gentrificação” de um bairro tradicionalmente habitado por imigrantes de baixa renda.

Debate à parte, a Brasserie Barbès se une a outros lugares, como a Brasserie La Goute d’Or e o cinema Louxor nessa nova onda de lugares mais “descolados”. A Brasserie Barbès impressiona pelo tamanho e pela investimento feito pelos proprietários para recuperar um prédio de três andares que, antes de sofrer um incêndio, abrigava um bazar popular.

© Luciano Spinelli
© Luciano Spinelli

O resultado final é médio. Lado positivo: o bar/restaurante é muito bonito por dentro, incluindo o super terraço que tem tudo para ser um dos mais disputados deste verão. Lado negativo: os preços são acima da média mesmo para a rive gauche parisiense (8,50 por um pint de cerveja!) e o atendimento, infelizmente, é exatamente como o da rive gauche: terrível. Para completar, o terraço nem sempre está aberto ao público, sem explicação aparente. Quando visitamos, não estava.

Essa é a verdadeira bola fora da Brasserie Barbès. Por trás da aparência moderna, que inicialmente faz crer que o lugar segue a tendência de bom atendimento oferecido pelo novo comércio da região – amplamente inspirado no modelo americano de fazer o cliente se sentir à vontade –, esconde-se o mais velho modelo parisiense de garçons mal-humorados que distribuem patadas e onde o cliente não pode escolher nem onde quer sentar.

Isso pode fazer sucesso entre os turistas da rive gauche, mas para quem vive por aqui e está em busca do novo e bom comércio que surge principalmente no 9ème, não dá. Por que então estamos sugerindo a Brasserie Barbès aqui no Paris Lado B? Basicamente por três motivos: 1) os drinks e o restaurante são muito bons, 2) como falado antes, o prédio é muito bonito, com quatro ambientes diferentes e 3) porque, querendo ou não, está dando um gás novo a uma região sem muitas opções. Não custa dar uma passada, nem que seja para não voltar mais.

As fotos deste post são de Luciano Spinelli:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Brasserie Barbès
2 Boulevard Barbès (Metro Barbès, linha 2 ou 4).
Aberto todos os dias, das 8h às 2h.

Aproveitando a viagem:

  • Se você quer o oposto da Brasserie Barbes, um bar autêntico de verdade neste bairro, visite o Clair de Lune.
  • Leia todas as nossas dicas para o 18ème.
  • Leia todas as nossas dicas para o South Pigalle, que fica ao lado.
About Gabriel B. 70 Articles
Connard, flâneur, ringard.