Le Bal: o baile que virou galeria

Localizado em uma minúscula e erma travessa sem saída do 18ème arrondissement (foto acima), longe da colina de Montmartre ou dos pontos turísticos da região, o Le Bal é um daqueles lugares que você só chega se souber o endereço. Impossível passar “sem querer” pela viela Impasse de la Defense. Mas depois de dar os primeiros passos sem encontrar vivalma, você vai deparar com um dos espaços dedicados às artes visuais mais efervescentes da cidade.

O Le Bal é não apenas um espaço para exposição, mas também uma boa livraria e um ótimo bar/restaurante, que com frequência está mais cheio do que a galeria. A história do Le Bal também é interessante: nesse fim de mundo do 18ème, antes da II Guerra Mundial, existia um “espaço de baile” (por isso o nome, Le Bal) – na verdade um bom e velho cabaret, chamado Chez Isis. Em 2006, passou por uma reforma geral e virou este espaço dedicado a fotografia, cinema e novas mídias, com ênfase em documentação (ideal para jornalistas), com frequência trazendo exposições internacionais. Atualmente, exibe fotografias do britânico Paul Graham (até 9 de dezembro de 2012).

Mesmo se a exposição não lhe interessar, vale a pena visitar o Le Bal pelo brunch dos domingos (até às 16h) ou apenas pela caminhada pelas desconhecidas vielas ao redor da Place de Clichy, que revelam cenas insólitas como esta abaixo.

Le Bal
6 Impasse de la Défense. 75018. Paris
Metrô Place de Clichy (linhas 2 ou 13).
Quartas e sextas-feiras, das 12h às 20h. Quintas-feiras, até às 22h.
Sábados, das 11h às 20h, e domingos, das 11h às 19h.
Acesso à livraria e ao bar gratuitos. Acesso à galeria, 5 euros (4 para estudantes).

Leia também

About Gabriel B. 115 Articles
Connard, flâneur, ringard.